Uma Questão de Património Linguístico Madeirense: Saloia/Saloio

  • Helena Rebelo

Resumo

No Arquipélago da Madeira, realizam-se “visitas pascais” do domingo de Páscoa ao dia do Pentecostes. A acompanhar as insígnias do Espírito Santo, vão crianças chamadas “saloias”. Em praticamente todas as paróquias em que elas participam, são meninas. Estas raparigas de tenra idade vão trajadas de modo particular. Na pesquisa concretizada em todos os concelhos, houve uns casos com rapazes. É deles que se pretende aqui falar. Serão o masculino e o feminino equivalentes? Porquê o predomínio de meninas nas visitas? Por que razão a escassez de rapazes? Em que difere a presença de ambos? Estas são algumas das interrogações a colocar, condensando-se a problemática na questão do género gramatical (masculino/feminino) do termo que desencadeou uma pesquisa no âmbito do Património Linguístico da Região Autónoma da Madeira: o uso do termo “saloia” para “menina que acompanha as insígnias do Espírito Santo”.


Palavras-chave

Arquipélago da Madeira; Visitas das Insígnias do Espírito Santo; Saloias; Saloios; Género Linguístico.

Publicado
2019-06-06
Edição
Secção
Artigos / Ensaios